• Black/White
  • White/Black
  • Yellow/Blue
  • Padrão

Current Style: Padrão

-A A +A

Oficina de Autores

O professor Luiz Filgueiras organizará, a partir de janeiro de 2017, uma atividade complementar (Estudo Dirigido), conforme prevista no Novo Currículo de Economia, denominada de Oficina de Autores - conforme proposta, que esclarece todos os detalhes.

Os interessados em participar devem comparecer a uma reunião que o professor realizará no dia 20 de dezembro (terça-feira) às 14 horas na sala 302, quando serão dados maiores esclarecimentos e tiradas eventuais dúvidas.

 

FACULDADE DE ECONOMIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA

ATIVIDADE COMPLEMENTAR: OFICINA DE AUTORES (CH: 30 h)

HORÁRIO: a combinar

PROFESSOR: Luiz A. M. Filgueiras

 

OFICINA DE AUTORES – 2016/2017

A Oficina de Autores faz parte do rol de Atividades Complementares ofertadas aos estudantes do Curso de Economia, conforme previstas no Novo Currículo de Economia.

Constituindo-se em um dos componentes curriculares obrigatórios, essas atividades, tal como explicitadas no novo Projeto Pedagógico do Curso de Economia, “visam expandir o conhecimento adquirido nas disciplinas cursadas, além de possibilitar a interação com outros profissionais atuantes na área de economia e o estabelecimento de vínculos que possam facilitar a inserção do aluno no mercado de trabalho ou na carreira acadêmica”. Ao longo do curso, o estudante deverá integralizar um total mínimo de 240 horas em Atividades Complementares.

Ainda segundo o Projeto Pedagógico, “podem ser consideradas Atividades Complementares, desde que passíveis de avaliação e comprovação pelo Colegiado do Curso de Graduação em Ciências Econômicas, o trabalho e a participação do estudante nos seguintes tipos de atividade: monitoria; iniciação científica em grupo de pesquisa; participação em atividades de extensão; estudos dirigidos; disciplinas do Curso de Pós-Graduação em Economia ou áreas correlatas; curso preparatório para a seleção de mestrado, desde que ministrado pela Faculdade de Ciências Econômicas da UFBA ou pelo Conselho Regional de Economia; e Congressos, Simpósios, Conferências e Seminários Acadêmicos; disciplinas oferecidas por outras instituições de ensino ou de regulamentação e supervisão do exercício profissional, desde que em cursos reconhecidos”.

Por fim, o Projeto Pedagógico recomenda “que a participação dos alunos em atividades dessa natureza, contando carga horária para integralização da estrutura curricular, só se efetive a partir do terceiro semestre letivo”. Além disso, destaca que essas “Atividades Complementares podem ocorrer em qualquer época do ano, independendo, portanto, do período de aulas estabelecido pelo Calendário Acadêmico”.

A Oficina de Autores, aqui proposta, se constitui em uma atividade de “Estudo Dirigido”, tendo por objeto, em cada período, um ou mais autores que se tornaram “clássicos” por suas reconhecidas contribuições - teóricas e/ou empíricas - na grande área das Ciências Sociais (Economia, Sociologia, Antropologia e Política) e em áreas adjacentes (afins) como a História, a Psicanálise e a Ecologia. De preferência, serão escolhidos autores que não são contemplados, ou que não são tratados prioritariamente, nas diversas disciplinas do Curso de Economia.

Em princípio, cada oficina (período de estudo) deve corresponder a uma carga-horária de 30 horas (três horas por semana, durante 10 semanas).  O estudante poderá participar de, no máximo, duas oficinas (dois períodos, integralizando 60 horas); este critério se faz necessário para que um maior número de estudantes possa participar desse tipo de atividade. O autor ou autores que forem objeto de estudo, em cada período, deverão ser abordados a partir de suas principais obras e, quando for necessário, também com o apoio de textos complementares de intérpretes de seus respectivos pensamentos.

A dinâmica da Oficina de Autores, como todo e qualquer estudo dirigido, exigirá (obrigatoriamente) de cada um dos participantes (no máximo 08 estudantes em cada oficina) a leitura de todo o material que será objeto de discussão. Em cada uma das reuniões semanais de três horas, o material previamente selecionado e disponibilizado deverá ser apresentado inicialmente por um dos participantes e, em seguida, debatido exaustivamente, destacando-se os seguintes pontos (roteiro de discussão): a contextualização histórico-social do autor, os seus principais aspectos biográficos, as suas principais hipóteses, as suas proposições e explicações fundamentais, as consequências teóricas e práticas de seu pensamento e as suas relações com outros autores e pensamentos.

Ao final do período, de cada oficina (estudo dirigido), cada um dos participantes deverá apresentar obrigatoriamente um texto que sistematize a sua respectiva compreensão sobre o autor ou autores abordados, seguindo o roteiro de discussão acima explicitado. Adicionalmente, no que se refere ao professor responsável, este poderá elaborar um texto-didático que sintetize o autor ou autores trabalhados e que, eventualmente, possa ser publicado e/ou utilizado em disciplinas relacionadas com os temas tratados por esses autores.

Abaixo, apresenta-se uma lista ilustrativa de possíveis autores que poderão ser tratados nas oficinas. A intensão é de que a primeira oficina, a começar em janeiro de 2017, trate do economista alemão Friedrick List (1789-1846), contemporâneo de Ricardo, Malthus e Say - três dos principais economistas clássicos ingleses. Criticando as formulações desses economistas, em especial o livre-cambismo no comércio internacional e a teoria das vantagens comparativas, List teve forte influência no desenvolvimento industrial de seu país e no de outros países, particularmente os EUA, onde morou, bem como na industrialização de países da América Latina através das formulações da CEPAL. A obra fundamental desse autor, publicada na Coleção “Os Economistas”, denomina-se “Sistema Nacional de Economia Política”; ela nos ajuda a pensar a questão fundamental do desenvolvimento econômico nos dias atuais.

UMA PRIMEIRA LISTA DE AUTORES (ILUSTRATIVA)

Friedrich List

 Nicolau Maquiavel

Sérgio Buarque de Holanda

Michael Kalecki

Thomas Hobbes

Caio Prado Jr

Thomas Hodgskin

 John Locke

Raimundo Faoro

Thorstein Veblen

Jean Jacques Rosseau

Florestan Fernandes

Ludwig von Mises

Alexis de Tocqueville

Octavio Ianni

Friedrick Hayek

Maurice Dobb

Celso Furtado

Karl Polanyi

Eric Hobsbawm

Ruy Mauro Marini

Raúl Prebisch

E. P. Thompson

Joaquim Nabuco

Èmile Durkheim

Perry Anderson

Euclides da Cunha

Max Weber

Sigmund Freud

Darcy Ribeiro

Pierre Bourdier

Gilberto Freire

Thales de Azevedo

 

Share/Save